O CEO da NVIDIA, Jensen Huang, sobre a Radeon VII: 'Desapontante (…) o desempenho é péssimo



PC World managed to get a hold of NVIDIA CEO Jensen Huang, picking his thoughts on AMD's recently announced Radeon VII. Skirting through the usual amicable, politically correct answers, Jensen made his thoughts clear on what the competition is offering to compete with NVIDIA's RTX 2000 series. The answer? Vega VII is an 'underwhelming product', because 'The performance is lousy and there's nothing new. (There's) no ray tracing, no AI. It's 7nm with HBM memory that barely keeps up with a 2080. And if we turn on DLSS we'll crush it. And if we turn on ray tracing we'll crush it.' Not content on dissing the competition's product, Jensen Huang also quipped regarding AMD's presentation and product strategy, saying that 'It's a weird launch, maybe they thought of it this morning.'

Obviamente, a penetração real no mercado das tecnologias mencionadas por Jensen Huang é atualmente extremamente baixa - apenas alguns jogos suportam as tecnologias de rastreamento de raios da NVIDIA. O fato de a AMD ter optado por não investir significativamente recursos e espaço de matriz para o que é essencialmente uma placa de alto desempenho para ir contra o RTX 2080 da NVIDIA significa que sua GPU de 7 nm 331 mm² competirá contra a matriz de 12 nm e 545 mm² da NVIDIA - se o desempenho as estimativas estão corretas, é claro. As próximas observações vieram sobre o FreeSync da AMD (essencialmente um nome para o Adaptive Sync da VESA), que a NVIDIA finalmente decidiu apoiar em suas placas gráficas GeForce - algo que a empresa poderia ter feito sem rodeios, em vez de optar pelo custo proprietário, agregado ao módulo rota aumentada do G-Sync. Enquanto a maioria vê isso como um sinal de que a NVIDIA sofreu uma desaceleração do mercado com seu G-Sync, adicionou monitores com preços premium e está apenas cedendo às demandas do mercado, Huang vê de outra maneira, dizendo que 'nunca competimos. (FreeSync) nunca foi comprovado que funcione. Como você sabe, inventamos a área da sincronização adaptativa. A verdade é que a maioria dos monitores FreeSync não funciona. Eles nem trabalham com as placas gráficas da AMD. Após essas palavras de Jensen, é difícil entender o silêncio geral dos usuários que podem ter seus monitores FreeSync não funcionando.

Segundo relatos, a NVIDIA encontrou apenas 12 dos 400 monitores compatíveis com FreeSync para suportar automaticamente sua tecnologia G-Sync na bateria inicial de testes, com a maioria dos painéis exigindo uma substituição manual para habilitar a tecnologia. Huang prometeu: 'Testaremos todas as cartas contra todos os monitores e todos os jogos e, se não funcionar, diremos que não funciona. E, se funcionar, deixaremos que funcione ', acrescentando uma frase sarcástica a esse assunto com um' Acreditamos que você deve testá-lo para prometer que funciona e, sem surpresa, a maioria deles não funciona '. Tempos divertidos.
Source: PC World